Evangelização Infantil e Jovens

A denominação de Evangelização Espírita Infantil e Jovens, se dá à transmissão do conhecimento espírita e da moral evangélica pregada por Jesus, não somente com a transmissão de conhecimentos mas, sobretudo, com a formação moral, a formação moral se inspira no Evangelho. Tem por finalidade iniciar a criança nos ensinamentos cristãos, com base na Doutrina Espírita. Apresenta a criança e jovens os ensinamentos de Jesus e de Kardec em uma linguagem simples e de fácil entendimento, para que possam ser fortalecidas suas bases morais e filosóficas.

Evangelização Infantil e Jovens

Domingo das 10h00 às 11h30

 

Público alvo:

Crianças com idade de 3 a 14 anos que serão divididas em grupos de 3 a 6 anos, 7 a 10 anos, 11 a 14 anos.

Objetivos:

Auxiliar a família através de um princípio fundamentalmente voltado às praticas cristãs, buscando desde cedo incentivar a criança e o pré-adolescente na prática da caridade. Também aproveitar o período de estada na casa e socializar o grupo para um futuro em atividades filantrópicas. E ainda facilitar o entendimento sobre a doutrina básica Espírita.

 Conteúdo:

Para o grupo de 3 a 6 anos, atividades mais leves como histórias, vídeos, desenhos e colagens voltadas à evangelização bem simples. Já os demais grupos com ensinamentos do Evangelho Segundo o Espiritismo e o auxílio de apostilas cedidas pela FEB que conduz ao conhecimento da doutrina.

 

Jovens com idade de 15 a 22 anos que serão divididos em grupos de 15 a 18 anos e de 19 a 22 anos.

Objetivos:

Informar ao jovem como a doutrina pode ser conhecida e como pode contribuir no seu dia-a-dia servindo para uma diretriz cristã futura.

Conteúdo:

O conteúdo dos encontros será do Livro dos Espíritos e do Evangelho Segundo o Espiritismo com conotação ao cotidiano, permitindo foro de discussão sobre os assuntos abordados.

 

Através da evangelização é possível educar para a vida, aliando o Evangelho ao conhecimento espírita, dando assim bases sólidas para que a criança e o jovem enfrentem as dificuldades que poderão surgir no decorrer da sua encarnação, possibilitando o meio de destruir o pior dos vícios: o egoísmo, conforme verificamos na resposta de Fénelon à questão 917 de O Livro dos Espíritos e nos comentários complementares de Allan Kardec.